sábado, 26 de setembro de 2015

TRÊS MOTIVOS DE MUDANÇA NA EDUCAÇÃO DO ESTADO, UM NO MÍNIMO ESTRANHO

Em uma entrevista publicada no jornal Folha de São Paulo, quarta-feira dia 23 de setembro de 2015, no caderno Cotidiano, o sr. Secretário de Educação de São Paulo, Herman Voorwald, elencou três motivos para justificar possíveis mudanças nas escolas estaduais a partir do próximo ano letivo, com a organização das escolas em ciclos, ou seja, ensino Fundamental I, Fundamental II e Médio, em escolas separadas que, de acordo com o secretário, será importante para garantir os tempos e espaços para a aprendizagem dos alunos. O primeiro motivo segundo o secretário foi a municipalização que embora ainda não tenha sido concluída, já levou a migração de 60% dos alunos das séries iniciais para o município, segundo pela diminuição da taxa de natalidade que consequentemente diminui o número de alunos, e terceiro foi a melhoria da condição financeira das classes, nos últimos anos, e com isso houve uma migração de alunos para a rede particular de ensino.

domingo, 13 de setembro de 2015

POSFÁCIO PARA “DESEQUÍLIBRIO”, DE NAYARA BRIDA

Por Fernando Rocha

Desequilíbrio, os dois pés no chão não transforma a realidade em algo estável, uma presa fácil de capturar, pois bem, esqueça o ambiente externo, os textos que compõe esta publicação, foram construídos sem a necessidade das ações ou fatos, são jorros de interioridade, do primeiro parágrafo ao último, será como ter o colarinho pressionado, olhos nos olhos invadindo o seu interior, e o disparo de uma metralhadora, não de palavras, mas sim de sentimentos e sensações que antecedem e sucedem a forma primitiva do verbo.

Não há gênero que aprisione Nayara Brida, a extensão dos textos é curta, mas isso não deve ser confundido com fugacidade. A inadequação do ser diante da existência contorna temas como o suicídio, deixando a dúvida se tal ato seria uma espécie de libertação. O retrocesso ao útero como ruptura da linha lógica do tempo.