domingo, 13 de maio de 2018

ÂNIMOS PASSAGEIROS

Por Gabriel Barban

Está chovendo hoje na cidade, mas as ruas estão cheias. Cheias de carros, humanos e cachorros. Como tem cachorro por aqui.
Não consigo me acostumar com essa sensação de que algo está para acontecer.
Eu fico ansioso com a ansiedade e isso me aflige.
Acho que os próximos anos serão bons. A televisão disse que a safra de julho será histórica e o motorista do ônibus que tomei mais cedo disse a uma passageira que o bairro irá receber duas novas linhas.
Ontem avistei a nova vizinha do andar de cima subindo as escadas. Um tipo bonita: olhos pequenos e pernas grandes. Aparentemente frequentava mais academias e escadas, do que bares. Fiquei um pouco frustrado, mas logo passa.
Quanta coisa acontecendo!
Esses dias liguei na editora.
-Boa tarde, meu nome é Gabriel Barban.
(Silêncio)
-Bom… estou ligando para saber se já tem alguma data para o término da avaliação da segunda edição, que enviei da minha obra. Com quem falo?
-Você fala com Vanessa, respondeu-me uma voz que não aparentava estar em um bom dia.
-Olá Vanessa. Pode me ajudar por favor?
Perguntei com uma educação poucas vezes presenciada.
-Não posso, a responsável está almoçando e você terá que ligar mais tarde.
Olhei no relógio que marcava 15h52.
Suspirei.
-Qual o nome da responsável por favor, Vanessa?
-É a Santana.
-Ok, ligarei mais tarde e falo com ela. Obrigado.
Em uma tentativa de tentar provar para mim mesmo que a Vanessa não havia tirado minha sanidade, coloquei o telefone no gancho com extremo cuidado.
Abri a janela novamente e a chuva havia dado lugar a uma garoa fina.
Fui então a cozinha, preparei um chá, cortei uma belíssima rodela de limão e sentei para ler uma revista sobre tecnologia.
Me senti como um sexagenário à beira de um colapso mental. Uma pena que só fiquei pensando na Vanessa.
Ás vezes, quando a gente estiver se sentindo dono do mundo, a gente só precisa depender da Vanessa. Há muitas por aí, pode apostar.
Liguei umas horas depois. A avaliação estava pronta e já havia sido enviada para meu e-mail.
Irei lê-la no sábado, quem sabe estará sol.

Nenhum comentário:

Postar um comentário